quinta-feira, 31 de outubro de 2013

CABELOS PINTADOS: COMO ESCOLHER A COR CERTA?


















Seja para cobrir os cabelos brancos, para ter um aspecto mais jovem ou simplesmente para ter um look diferente ou mais sexy, a maioria das mulheres acaba, mais cedo ou mais tarde, por pintar o seu cabelo.

Hoje em dia, desde muito cedo se recorre às tintas de cabelo, quer seja para acrescentar madeixas ou reflexos, ou mudar integralmente a cor do cabelo.

A cor natural dos cabelos varia com a idade e, regra geral, escurece na adolescência, o que leva a que muitas pessoas queiram optar por uma cor diferente.

Na hora de escolher uma coloração artificial, as cores preferidas das mulheres são o loiro e o castanho arruivado.

Um cabelo loiro faz sobressair um tom de pele dourado, ilumina a cara e dá um look mais glamoroso, além de desviar o olhar das imperfeições do rosto. O inconveniente de pintar o cabelo de loiro é que requer mais manutenção, pois raízes escuras veem-se facilmente num cabelo claro.

Um cabelo castanho reflete mais a luz, tendo mais brilho. Ajuda a fazer parecer o cabelo mais grosso e forte, sendo ideal para cabelos mais finos. Os castanhos transmitem uma imagem de força e carácter. O inconveniente desta cor é que, com as lavagens frequentes e com a exposição à luz solar, tendem a ficar avermelhados.

Um cabelo de tom mais escuro, não ilumina tanto a pele e acentua as sombras e rugas, não sendo aconselhado para pessoas mais velhas.

O ruivo é por excelência um tom ousado, proporcionando um rosto extraordinariamente iluminado. Atenção ao tom de ruivo que escolhe e ao modo como é aplicado, pois este pode dar-lhe um aspecto vulgar em vez de sofisticado.

Quem tem uma pele de tom cálido (matiz amarelada ou dourada) deverá optar por tons castanhos, avelãs ou cor de mel. Deverá evitar tons muito brilhantes e frios, como os tons acinzentados, que podem tornar a sua pele mais azulada.

Peles com um tom frio, isto é, de fundo rosa ou azulado, devem usar tons claros, loiros nórdicos ou ligeiramente acobreados. Se tem um tom de pele rosado, evite o loiro dourado, que torna a pele mais avermelhada.

Quando se trata de madeixas, é preciso ter em atenção, além do tom de pele, a cor do cabelo, a não ser que se recorra primeiro a uma descoloração do cabelo ou sejam feitas num cabelo previamente pintado da cor apropriada.

Se se trata de um cabelo naturalmente loiro, há uma maior gama de escolha, pois existem inúmeros tons que facilmente se fundem com a cor base do cabelo. Se o tom de pele for claro, será de optar por madeixas de cor caramelo ou douradas. Evite as madeixas de cor loiro quase branco.

Se temos como base um cabelo castanho, o aconselhado são madeixas mais claras mas que não ultrapassem mais de três tons em relação à cor base.

Se tiver o cabelo castanho muito escuro ou de cor negra, poderá aplicar madeixas desde que sejam de um tom de castanho ligeiramente mais claro que a base.

Num cabelo ruivo, o ideal será usar reflexos castanhos ou mogno. Em alguns casos, reflexos dourados podem ser utilizados num cabelo vermelho acobreado, dependendo do tom de pele.


Fonte: Marketing GrupoM8

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Sapato transparente
















Visual monocromático, listras verticais e estampas de fundo escuro. Os truques de moda  para alongar a silhueta são muitos e podem ser aplicados, inclusive, nos sapatos. “As pessoas acham que só a roupa tem essa função, mas o sapato também pode deixar a silhueta longilínea”, diz Mica Rocha, it girl à frente do We Pick.

O modelo invisible usado por Cara Delevingne no baile da amfAR, no Rio de Janeiro, deixa o pé à mostra e alonga a perna. E o melhor: é tendência! As atrizes Kristen Stewart, Emma Stone e Thássia Naves já aderiram à moda. “Quando você mostra um pedaço de pele, a perna fica visualmente mais longa”, Gabí F. Souzä, consultora de imagem da Boucle. O segredo é mostrar o peito do pé, por isso, mesmo os modelos com biqueira colorida, como o Un Bout de Christian Louboutin, cumprem a função.

Uma alternativa aos sapatos transparentes são os modelos nude, que funcionam como uma continuação da pele. “Se você cria a ilusão de não estar usando nada, consegue alongar a silhueta”, afirma Mica.


Fonte: Marketing GrupoM8

terça-feira, 29 de outubro de 2013

PULSEIRAS SHAMBALLA










As pulseiras Shamballa são agora um acessório de moda muito popular, nos Estados Unidos, na Europa e no Brasil.

A palavra “Shambala” é usada para denominar um reino místico, habitado por seres perfeitos ou semi-perfeitos, guias da evolução humana. É um lugar belo, harmonioso, de paz e felicidade, onde só os iluminados e puros de coração podem estar.

As pulseiras Shamballa surgiram na década de 90, quando dois joalheiros belgas (Mads e Kurt) criaram peças inspiradas na cultura oriental e na crença dos efeitos de cada uma das pedras usadas, dando-lhe o nome de Shamballa Jewel. Dentro das peças criadas, destacou-se uma pulseira, inspirada nos terços budistas, representando a união do homem com as energias positivas do universo.

As pedras usadas nestas pulseiras têm a função de transmitir paz, tranquilidade e proteção a quem as usa. A marca “Shambala Jewels” define estas pulseiras como sendo uma mistura de joalharia e espiritualidade.

Estas pulseiras são elaboradas em fios tecidos em macramé, contendo uma ou mais pedras diferentes, preciosas ou semipreciosas, cada qual com o seu significado.

As originais são feitas com pedras e metais preciosos, entrançados no cordão, podendo chegar a custar perto de 30 mil euros. No entanto, podem comprar-se cópias muito bonitas destas pulseiras a partir de 10 euros.

Para além de toda a sua simbologia e benefícios associados, são pulseiras de grande beleza, para serem usadas por mulheres ou homens!


Fonte: Marketing GrupoM8

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

As famosas que já atacaram de estilistas





















Elas são cantoras, atrizes e também já se jogaram no mundo da moda

Celebridades como Rihanna e Avril Lavigne não são as únicas que atacaram de estilistas no mundo das famosas. Selecionamos diversas cantoras e atrizes que se dedicaram ao mundo da moda e se deram muito bem lançando grifes. Quer ver?

- A marca Fergie Footwear foi lançada pela cantora Fergie em 2008. A grife trazia uma coleção de sapatos inacrê! 
- Alessandra Ambrósio lança, ainda esse ano, a Alé by Alessandra. A marca traz vestidos, blusas, leggings e jeans, com cores vibrantes e estampas lindas. 
- Jennifer Lopez lançou a grife JustSweet em 2007. A coleção também foi mostrada na Semana de Moda de Nova York. 
- Avril Lavigne lançou a Abbey Dawn, sua grife de roupas, durante a Semana de Moda de Nova York, em 2011. A linha trazia roupas superfofas com uma pegada rocker. 
- Emma Watson já assinou duas coleções da grife britânica People Tree. O mais legal é que as peças eram feitas de material orgânico. Diva, né?
- As irmãs Mary Kate e Ashley Olsen são donas e diretoras criativas da grife The Row. A grife conta com roupas e uma coleção de bolsas liiiinda!
- Rihanna já desenhou uma linha de roupas para a marca de roupas Armani, por duas estações. A coleção foi lançada em 2011.

Fonte: Marketing GrupoM8

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Mesmo no ambiente de trabalho é possível ousar e se vestir com a moda verão
























Umuarama – As temperaturas em Umuarama costumam ser altas. Não raro os termômetros chegam aos 40 graus, mas, no clima praiano muitas vezes as – e os – umuaramenses ficam confusos sobre que tipo de roupa é adequado para os ambientes de trabalho e, ao mesmo tempo, confortável para o verão. Para sanar esta dúvida, o Ilustrado entrevistou Lilia Damiani, consultora de moda e estilo pessoal, do Centro de Moda Curitiba, que fica na capital.
De acordo com a especialista cada dia mais as empresas têm se posicionado em relação à imagem dos funcionários e sugerido um dress code para as corporações. Por outro lado, não dá para descartar as tendências verão 2014, que vêm cheias de transparência, camisas e blusões em tecidos leves e naturais justamente para facilitar a respiração da pele.

A palavra de ordem é prudência. Transparência pode sim, mas com cautela. “Tecidos transparentes e translúcidos estão em alta, só que ao contrário do que se pensa, o tecido transparente precisa ser usado com peças adequadas por baixo. Peças que cubram algumas regiões do corpo para não gerar um desconforto alheio, tanto dos colegas de trabalho como dos clientes”, explica.

Em alguns lugares, como lojas que vendem roupas, acessórios, cosméticos ou calçados, o uso das cores é uma boa aposta. “Em ambientes profissionais mais casuais o uso de cores vibrantes e algumas estampas são permitidas. O colorido é a cara do verão e cores como o pink, laranja, azul bic e amarelo são as mais fortes e vibrantes e podem ser combinadas com outras cores mais neutras e discretas como o nude, caqui e marinho, formando boas e equilibradas combinações”, diz Lilia.

Mas atenção: mesmo se o código da empresa for casual e esportivo vale pensar duas vezes antes de usar short, devido ao comprimento. Já as bermudas permitem a composição de estilos confortáveis e frecos. “As saias são um item que aposto com certeza no verão. Tem inúmeros tipos e modelos para criar looks com propostas bem lindas, autênticas e são super frescas e femininas”.

Por outro lado, as mulheres - e homens – que trabalham em escritórios, clínicas, órgãos públicos a pedida é usar cores menos fortes, abusando do off White. “Quem precisa se vestir no trabalho de forma mais social e formal como empresários, advogados e bancários pode fazer o uso da paleta dos neutros e terrosos agregando pequenos toques de cor (coral e turquesa, por exemplo) para quebrar um pouco o visual muito fechado na estação”, orienta a especialista.

Use sem medo

Algumas peças coringa ajudam a compor um look prático e bonito para estar bem-vestido mesmo em cidades quentes como Umuarama. De acordo com a especialista o preto e o branco são combinações atemporais e aposta certa em sofisticação em qualquer época do ano. “Elas nunca saem de moda e combinam fácil com praticamente tudo”.  Para quem gosta de cores o floral também é um coringa. “Outras peças indispensáveis são os metalizados, principalmente nos acessórios. Sapatos, bolsas e cintos dourados ou prateados dão um up no look e são super fáceis de usar, já que combinam simplesmente com tudo”, revela.



Um item que não falta no guarda-roupa das umuaramenses são as sandálias rasteirinhas e, para quem não dispensa o calçado, uma boa notícia: elas podem ser usadas também nos ambientes de trabalho. “O bacana é aderir àquelas mais elaboras, com pedrarias e detalhes diferentes. Você pode combinar uma saia listrada preta e branco, com uma blusa pink e uma rasteirinha dourada. Assim ficará bem verão, na moda, sofisticada e confortável”, conta Lilia.

Além das roupas com tecidos mais frescos e de cores mais fortes outros itens que não podem faltar no verão são óculos de sol, protetor solar, hidratante pós-sol e, para quem gosta, bonés e chapéus. 


Ainda ficou na dúvida na hora de escolher as roupas para ir trabalhar? A consultora de moda Lilia Damiani criou alguns looks para facilitar a composição de looks funcionais e elegantes para o ambiente de trabalho.

Para quem trabalha em lojas:

Se não há um uniforme padrão é recomendado roupas confortáveis, não muito justas, discretas e com um bom caimento. Uma boa opção é uma camisa com uma modelagem que favoreça o biótipo do funcionário, com uma estampa atemporal como listrado, xadrez ou até de alguma cor mais forte lisa, com uma calça jeans de lavagem escura ou uma calça de alfaiataria de uma cor neutra. A cor escura na parte inferior é ideal pois não suja nem marca com facilidade, transmite um visual mais sofisticado e revela um desgaste menor no tecido do que cores claras. 


Para quem trabalha em escritórios e órgãos públcos:

Para ambientes mais formais, os conjuntos como terno e blazer com saia são bem-vindos e sempre garantem um visual profissional. Existem inúmera opções modernas de compor esse conjunto.


Fonte: Marketing GrupoM8

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O sapo vira objeto de moda na Europa



















O couro de uma espécie de sapo da América Latina, importado pela Austrália, onde se transformou em praga nacional, virou um apreciado acessório de moda na Europa e hoje é vendido em todo o mundo.

A história parece um conto de fadas moderno e começa no século passado, quando a Austrália decidiu importar o sapo Rhinella marina, uma espécie de batráquio gigante tropical comum na América Central e no norte da América do Sul, para combater insetos coleópteros daninhos para a agricultura.

A saga do sapo é uma história digna de ser contada e termina com o animal usado como acessório na Europa por homens e mulheres, com opções de cores como fúcsia, turquesa, amarelo ou verde, transformado em pulseira, cinto, pingente ou porta-níqueis.

Até mesmo aqueles com gosto mais clássico sucumbem à tentação de trocar o ouro ou as pérolas por este amuleto da era moderna, um sapo de pele tão frágil quanto a víbora píton e cujos podem ser substituídos por peças de vidro ou pedra semiprecisosas.

Tudo começa em Paris, há pouco mais de dois anos. "Um amigo me ofereceu uma rã amuleto neozelandesa embalsamada que me provocava certo repulsa, mas que terminou me fascinando, conta a estilista polonesa Monika Jarosz, de 35 anos, em sua casa-ateliê instalada em uma antiga leiteria do bairro parisiense de Belleville.

Monika chegou à França há 12 anos vinda de Ostrowiec Swietokrzyskie, na Polônia, e começou trabalhando como modelo antes de iniciar a carreira de estilista.

"Quanto mais eu tocava a rã, mas seu couro me dizia coisas e mais ia tomando forma a ideia de criar algum tipo de joia. Mas era necessário conseguir reciclá-los", explica.

Monika procurou então por restaurantes que cozinhavam rã, em vão. Até que descobriu a existência de um sapo gigante venenoso da América Central e Sul, levado para a Oceania há muitas décadas.

O batráquio proliferou e evoluiu até alcançar às vezes o tamanho de um pequeno cão. Os defensores do meio ambiente exigem hoje que as autoridades da Austrália capturem e eliminem este animal transformado em ameaça para o ecossistema, já que sua ingestão é venenosa para outros animais.

Com a ajuda de um taxidermista australiano de Cairns, Monika Jarosz obteve restos do sapo, "cujo tratamento necessita de 14 etapas antes de poder tingir e trabalhar com eles".

Foi em um ateliê de couro de luxo de Romainville, no subúrbio de Paris, que ajudada por Hacen, Fafa e Beja, os sapos se transformaram em carteiras, porta-níqueis e cintos de luxo, fabricados à mão e "made in France".

"Quendo contactei Jean-Charles Duchêne, o dono do ateliê Alric de Millau, para pedir um orçamento, pensou que era uma brincadeira", conta Monika.

A empresa, que atualmente trabalha para marcas de luxo, compreende que deve tratar "caso a caso estes animais exóticos que nunca têm o mesmo tamanho e que exigem grande minuciosidade".

A isso se somam todo tipo de crenças e superstições. "Símbolo de fertilidade e prosperidade, são muito vinculados à bruxaria" lembra Monika enquanto seleciona uma centena de sapos mortos, aplainados e secos, de 10 a 20 cm de comprimento, cuja cabeça sobressai como nos antigos troféus de caça, recém-chegados da Austrália e a ponte de serem reenviados para o ateliê Millau.

"Não aposto no gótico, o que me interessa é o conto de fadas, o sapo que se transforma em príncipe...", diz antes de beijar um dos sapos turquesa com olhos negros e brilhantes.

Transformado em porta-níqueis, custa entre 220 e 250 euros conforme o país onde é vendido (Japão, Estados Unidos, China, França, Alemanha). A bolsa mais cara custo mais de 1.000 euros (1.300 dólares).

Monika terminou a história lançando sua própria marca, Kobja, uma palavra derivada de "pequena rã" em polonês.

Vendidos em lojas de luxo e pontos de venda em Tóquio, Pequim, Nova York, Paris e Berlim, os sapos adquiriram o status de "objetos de culto" e entre seus donos há vários famosos que continuam dando à Monika incentivo para trabalhar com seus modelos "Sacha" e "Rosa".


Fonte: Marketing GrupoM8

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O que tem a ver o cadarço do sapato com a saúde?


























Até as coisas mais simples, cotidianas, contam quando a questão é a saúde. Um detalhe que poucos relacionam com a saúde é o cadarço do sapato. O que tem a ver o cadarço lá no pé com a saúde? Já respondo, começando pelo que é mais grave: a hora de amarrar o sapato é um momento de tensão, muitos acabam por cair e se machucar. Desamarrado, então, é um vilão para todos. Quem ainda não tropeçou no próprio cadarço? O sapato adequadamente preso faz a diferença no instante em que é requisitado para proteger o pé. Conforto e segurança ficam em evidência quando é feito um bom ajuste do calçado ao pé e o cadarço é devidamente posto a exercer a sua função.

Acostume-se com a posição correta do corpo para executar a tarefa de amarrar o calçado com segurança. O risco de perder o equilíbrio é grande quando se faz isto com o corpo curvado ou abaixado. Uma boa posição é apoiar o pé do sapato a ser amarrado no degrau da escada, por exemplo, e manter o outro no chão, com atenção para não perder o equilíbrio. Sentado é a posição mais segura. Crianças podem sentar no chão e  pessoas idosas ou com problemas de saúde podem sentar na cadeira e usar um banco mais baixo para apoiar o pé. Escorado ou apoiado nem sempre é uma boa opção.

Seja eficiente ao dar o laço para que ele não solte facilmente. Mas, como manter o laço firme? Após dar o laço, segure o cadarço no ponto entre o buraco do sapato e o nó do laço com os dedos polegar e indicador, dos dois lados dos passadores, um com cada mão, e puxe para as laterais. O primeiro nó ficará mais firme e o laço tenderá a ficar melhor centralizado. Esta técnica é ideal para sapatos com cadarços redondos, que desamarram facilmente quando o laço não é firme. Bem mais fácil e bonito do que dar um nó em cima do laço. Em pedagogia, uma das competências que se exige de uma criança com cinco anos é que ela tenha capacidade cognitiva para amarrar o tênis. As duas orelhinhas de um bicho, quase sempre coelhos, são temas de brincadeiras e cantigas para facilitar o aprendizado dos pequenos, no Brasil e mundo afora. Por incrível que pareça, uma pesquisa recente revela que 19% das crianças entre dois e cinco anos sabem usar aplicativos de equipamentos eletrônicos, enquanto somente 9% sabem amarrar o sapato. Por isso, foi lançado um aplicativo para smartphone para contribuir para o aprendizado em um ambiente moderno. Certeza que amarrar o calçado não é fácil para crianças e nem para adultos, que ainda têm dúvidas de todas as ordens.

Calce o sapato, puxe os cordões para ajustar, sem apertar demais a ponto de incomodar e sem deixar folgado para o calcado não cair. Apertado, pode inclusive prejudicar a circulação sanguínea, e frouxo, o calçado deixa o pé instável, situação que pode levar a queda, torção ou traumatismo. É importante encontrar o ponto para não ficar solto nem preso demais. Quem tem inchaço precisa refazer o laço sempre no final do dia, para que o pé continue cabendo no calça; isso evita problemas para os pés e para os sapatos, que podem soltar os ilhoses quando muito pressionados. A folga deve ser preparada sem o nó, a partir dos passadores da ponta do pé, subindo em direção ao tornozelo. Os calçados com mais buracos oferecem mais possibilidades de ajustes para mais ou para menos e também possibilitam que se use quatro cadarços, dois em um mesmo pé de sapato, de maneira que possam ser feitos ajustes diferentes em cada fio. Outra alternativa é amarrar o cadarço ou passá-lo duas vezes pelos mesmos passadores paralelos, já na metade da coluna de buracos, fazendo o ajuste de parte do pé, e seguindo com o cadarço enfiado nos demais buracos para um segundo ajuste. Isto é bom para pessoas que têm pés largos na frente e estreito no calcanhar. Para melhorar o ajuste, pessoas com pés gordos devem deixar os ilhoses de um lado mais separados do outro, de maneira que a língua do sapato apareça mais no peito do pé, o que permite ampliar a área para comportar o pé. O ajuste do cadarço é justamente para que o calçado se adeque ao formato de cada pé.

O sistema de amarração do calçado é fundamental para dar estabilidade na passada por ser essencial para a firmeza do sapato no pé. Os tênis modernos são projetados com diferentes cadarços e passadores para atender às necessidades de cada prática esportiva. São idealizados para o conforto do pé e para a segurança da pessoa no que se refere ao risco de torção ou fratura. Cadarço bom é resistente o bastante para não romper quando se vira o pé, não importa se a fibra resulta em uma trama chata ou circular, de algodão ou não. Os passadores também são variáveis, em forma de buracos ou ilhoses. Tudo vai depender do objetivo para o qual o calçado foi projetado. Por exemplo, o calçado para o caminhador, que anda em superfície acidentada e montanhosa, é aquele que tem passadores em forma de ganchos, alças que ajudam a manter sustentado o cabedal no pé. Se a caminhada for em região com neve ou muita umidade, o calçado pode ter uma lingueta por cima da amarração para evitar que os pés fiquem molhados. O tênis para ciclista tem o sistema de amarração inclinado na lateral de fora do pé para evitar que o cadarço enrosque na corrente da bicicleta. O tênis para o corredor é geralmente com cadarços finos passados em furos pequenos concentrados na região da lingueta, já que o movimento do peito do pé exige mais desta parte do tênis durante a atividade. Tanto para caminhada quanto para corrida há especialistas recomendando o uso de tênis livre de laço, apenas nós, para não correr o risco de cadarço solto.

Sempre vem à moda a ideia de personalizar o calçado trocando o cadarço. Não é aconselhável mudar o original do tênis para a prática de esporte, porque a função do calçado foi estudada e testada, portanto, há um bom motivo para que seja da maneira que é. E não é apenas por questões de segurança, o projeto do calçado esportivo normalmente considera também o desempenho do atleta, que pode ser melhorado com o uso do tênis durante a prática do esporte. Para quem quer seguir a moda de muitas cores nos modelos para passeio, considere o número de pares de passadores para escolher o cadarço do tamanho certo. Inclusive, homens mais descolados estão usando sapato social com o cadarço da cor da gravata ou da camisa. Décadas atrás, foi moda usar sapato com cadarços imensos para fazer laços com múltiplas laçadas, que nunca ficavam firmes e faziam com que crianças e jovens caíssem com mais facilidade. O cumprimento do cadarço deve corresponder ao total de furos (dois pares de buracos, 45 centímetros ou quatro pares, sessenta centímetros). Existem quase dois trilhões de possibilidades para passar o cadarço pelos passadores para personalizar o calçado, segundo o site www.fieggen.com/shoelace. As diferentes maneiras fazem lindos desenhos, mas é preciso ter bom senso para perceber se a forma não compromete a finalidade do sistema de amarração, deixando o calçado frouxo ou apertado no pé. No caso de tênis, o cadarço cruzado atende bem a quase todas as modalidades esportivas. Outras modas que talvez precisem ser abandonadas são a de trocar o cadarço por elástico e a de andar com o calçado desamarrado. As duas alternativas representam um perigo a mais já que o calçado geralmente fica solto no pé, o que pode acarretar queda, bolha e o que é pior: o desenvolvimento do dedo em garra, uma lesão que em nível muito avançado pode resultar na incapacidade de movimentar os dedos. Se bem que, há uma novidade em tênis para corrida: um modelo preso por elásticos, mas o calçado foi projetado para funcionar assim. Aliás, estão surgindo soluções inusitadas como um tênis, sem costuras internas, que dispensa o uso de meias.

Amarre sapatos e tênis corretamente e mantenha a saúde. Para quem tem dificuldade em amarrar os sapatos, há alternativas de calçados com zíper ou velcro, muito usadas por crianças pequenas e idosos; porém, não são ideais para a prática esportiva, por não oferecerem tantas opções de ajustes e segurança para pés extremamente ativos. Lembre-se que o sapato inadequado ou amarrado incorretamente pode ser causador de problemas, como unha preta, fascite plantar, calosidades ou bolhas.

Fonte: Marketing GrupoM8

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Calçado ideal pode prevenir lesões na prática de exercícios





















A caminhada e a corrida estão entre as atividades físicas mais praticadas no mundo, principalmente, quando se aproxima o verão e todos querem perder aqueles quilinhos a mais, adquiridos no inverno. No entanto, o que muita gente desconhece é que o impacto gerado nessas atividades pode ocasionar lesões e  problemas ortopédicos. Por isso, é preciso escolher muito bem o calçado antes de sair de casa.

O uso de um tênis adequado é importante para evitar os malefícios ao corpo. De acordo com o fisioterapeuta e professor da Faculdade Inspirar, em Curitiba, José Lourenço Kutzke, tanto a caminhada quanto as corridas são exercícios que geram um grande impacto nos membros inferiores do corpo. “Os indivíduos com sobrepeso, ou obesidade, devem optar por amortecimentos de maior qualidade”, afirma.

O fisioterapeuta conta que os problemas causados pelo uso de calçados inapropriados ocasionam dores articulares o que, geralmente, torna-se um alerta para evitar as lesões degenerativas. Segundo ele, é preciso estar atento aos pontos de maior calosidade, já que o calo é provocado, na maioria dos casos, por uma força excessiva no local o que, consequentemente, podem resultar em contusões mais sérias. “O uso de tênis impróprios pode provocar problemas como artrose de tornozelos, joelhos, quadril e lesões discais da coluna”, explica.

As marcas de tênis investem cada vez mais nos sistemas de amortecimento, em conjunto com a entressola dos calçados, visando minimizar o estresse do impacto dos pés com o solo. “O amortecimento jamais pode ser escasso, todavia, também não pode ser em grande quantidade, pois pode tornar a pisada instável nos movimentos repentinos”, ensina.

De acordo com o especialista, os tênis têm, em média, uma vida útil de aproximadamente 500 km e algumas características são capazes de evitar os vários tipos de danos ao corpo. “Aspectos como o conforto, a flexibilidade e boa qualidade de aderência do solado com o chão são `ferramentas´ parceiras na prevenção das lesões geradas pela pressão durante a pisada”, afirma.

Mesmo possuindo no armário dois tênis da mesma marca e modelo, mas com tecnologia de amortecimento diferente, há a necessidade de intercalá-los nos dias da semana, pois, segundo o fisioterapeuta, pode existir uma demora de até 24 horas na recuperação do calçado para o uso.

Conhecendo os calçados

Os tênis são subdivididos em várias partes. O cabeal, por exemplo, é o responsável por estabilizar o calcanhar e o tornozelo. Porém, o formato deve conter um recorte que não machuque o chamado tendão de Aquiles. O amortecedor é o responsável por diminuir o primeiro impacto da pessoa contra o chão, no momento da pisada. Já as palmilhas têm a finalidade de absorver a transpiração.

O solado, por sua vez, oferece aderência adequada à superfície percorrida. A Entressola faz parte do sistema estrutural do tênis e tem o papel fundamental de distribuir o peso do corpo por toda a estrutura do calçado, trabalhando em conjunto com o sistema de absorção de impacto [amortecedores]. Em alguns tênis a entressola é considerada uma ferramenta importante na prevenção de lesões geradas pela pressão.

O tênis ideal

Cinco detalhes que devem ser observados ao adquirir seu tênis:

Conforto
Tecnologia entre a entressola e o amortecimento
Finalidade da prática esportiva
Analisar se há um aspecto patológico
Sempre que possível optar pelos tênis com pisadas neutras

Fonte: Marketing GrupoM8

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Sapato animal print é tendência para o verão 2014
















Novidade da próxima estação: estampa animal é tendência... nos sapatos! A padronagem de onça, zebra e cobra apareceu nos desfiles de Jean Paul Gaultier, Saint Laurent e Vivienne Westwood na Paris Fashion Week, mas inspira cuidado ao ser inserida no look. “Animal print é atitude, está relacionada ao estilo sensual”, diz Alexandre Krizek, consultor de imagem.

Mesmo no sapato, a estampa animal é marcante e pede combinações sóbrias. “O ideal é que seja usada com calça, vestido ou blusa de uma cor só”, alerta o consultor. E o look com sapato estampado pode até ter um mix de padronagens, desde que seja escolhido criteriosamente. “Dá para misturar animal print com camisetas com estampas em marca d’água. E aí pode ser legal usar um leão na camiseta para fazer referência ao desenho do sapato”, sugere.

A dica para não errar é concentrar a estampa em apenas um elemento do look. “Nada de combinar o sapato com um cinto ou uma blusa de oncinha e misturar os bichos de jeito nenhum”, sugere. A estampa animal combina com couro e até tecidos que imitam corda.


Fonte: Marketing GrupoM8

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Cabelo grisalho vira sinônimo de moda; saiba cuidar





















Desde que Meryl Streep apareceu com o cabelo totalmente branco no filme O Diabo Veste Prada, o estilo deixou de ser sinônimo de velhice. Sua personagem, a poderosa Miranda Pristley, sabia usar como ninguém os fios grisalhos. Mas assumir os brancos não é tão simples assim, pois são necessários alguns cuidados.

A consultora de moda e estilo Gloria Kalil relatou em seu blog que não basta parar de tingir o cabelo, pois eles só caem bem se vierem acompanhados de cortes modernos.

“As defensoras da juventude eterna podem até se assustar com a notícia, mas fato é que o cabelo branco está na moda, contudo, é preciso atenção na hora de adotá-los”, alerta, lembrando que se deixar os fios brancos crescerem sem controle o visual fica desleixado. “Derruba qualquer visual, não importa a maquiagem, a roupa e os cuidados com a pele e o corpo”.

Óleo finalizador ajuda

Cabelo branco não precisa ser sinal de descuido com a aparência. Aliás, para mantê-los é preciso muita atenção, afinal, os primeiros fios sem cor costumam ser mais rebeldes e mais grossos.  Por isso, os profissionais recomendam o uso de óleo finalizador e xampus que controlem o volume. Para evitar o tom amarelado - que é ainda mais evidente em quem tem o hábito de fumar - opte por produtos com leve tonalidade violeta. Mas atenção: esses produtos costumam ressecar mais os fios, por isso devem ser utilizados com cautela.


Fonte: Marketing GrupoM8

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Esmalte feito com pó de diamante






















Novidades não faltam na hora de pintar as unhas. A marca Yenzah, especializada em cosméticos para os cabelos, lançou a YNC, uma linha de esmaltes com partículas de diamante em sua composição. De acordo com a marca, a substância ajuda a fortalecer e dar brilho às unhas.

A coleção é composta por 30 esmaltes com cores que vão desde o clássico branco até o tradicional vermelho e o ousado verde metalizado.

Além do pó de diamante, os produtos  também contêm D-Pantenol, uma vitamina que age como hidratante e fortalecedor, o que previne o ressecamento da cutícula.


Fonte: Marketing GrupoM8

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Sapatos masculinos ganham releituras super femininas para elas


























Não é nenhuma novidade que peças do guarda-roupa masculino invadiram o closet das mulheres. Além da alfaiataria, varsity jackets e jeans boyfriend, os acessórios para eles também são desenvolvidos para elas. E com a febre dos sapatos sem salto, que promete tomar conta das ruas nessa e nas próximas temporadas, calçados como oxford, derby, loafer e mocassim são aposta certa para entrar em sintonia com as tendências apresentadas nas passarelas.

Embora muitas mulheres não abram mão de exibir looks que valorizem a feminilidade e a elegância, sempre subindo em vertiginosos saltos para compor suas produções, outras não deixam de lado o conforto de sapatos sem salto e, por que não, o toque de ousadia que calçados com mood masculino podem proporcionar ao visual.

Oxford e loafer revisitados
O modelo que ganhou fama nos pés dos estudantes da universidade que dá nome a peça, surgiu como aposta para mulheres por volta de 2007, e nunca mais deixou de ser queridinho para levar toque fashionista para os looks. Atualmente, continua a aparecer nas passarelas, mas sempre com um design que reflita os hits do momento. AEmporio Armani apresentou modelos vasados combinando recortes preto & branco ou modelo white total.
Já o loafer aparece com linhas mais suaves em branco e vermelho e python no catwalk da Creatures of the Wind. Paul Smith também levou o modelo para sua coleção, apostando na delicadeza que as tramas de ráfia conferem à peça.

Mocassim glamouroso
Peça clássica no guarda-roupa masculino, os sapatos são criações de índios norte-americanos feitos de couro ou pele, atualmente é apresentado em cores variadas assim como texturas diferenciadas. A Lanvin, por exemplo, levou para sua coleção de Verão 2014 o modelo em dourado levemente estonado com cobertura de glitter, assim como a versão em preto. Já a Burberry Prorsum apostou em modelo de couro mais maleável em tom ocre e azul.

Botas e coturnos
As chelsea boots também ganharam novos ares na coleção de Roksanda Ilincic com aplicação de laço na parte frontal da peça, que também apresentou modelo em vibrante combinação de amarelo, dourado, preto e branco. Apresar de ser um modelo unissex, sempre confere toque tomboy ao visual por ser uma peça "bruta" que dá certo toque de cowgirl.
Os coturnos são modelos que pegaram carona na era do militarismo fashion que volta e meia ressurge nas coleções, mas nunca deixa de ter suas fiéis seguidoras. Para quem não gosta de carregar muito no look "guerrilheira", misturar o acessório com itens mais elegantes ou femininos, como vestidos fluidos pode ser a melhor opção. Já Jean Paul Gaultier aposta em modelos com recortes levando a tendência do cutout para os pés.

Sandálias e tênis
A Proenza Schouler, com sua apresentação minimalista, apresentou uma releitura glamourosa de sandálias franciscanas que ganharam textura metalizada no modelo prata e rica cobertura python envernizada. Já a Giles mergulhou fundo na pegada andrógina no quesito acessório e apresentou sua coleção feminina com algumas modelos desfilando com clássicos tênis Adidas.


Fonte: Marketing GrupoM8

Sapato transparente faz mulher parecer mais alta porque alonga silhueta
















Visual monocromático, listras verticais e estampas de fundo escuro. Os truques de moda para alongar a silhueta são muitos e podem ser aplicados, inclusive, nos sapatos. “As pessoas acham que só a roupa tem essa função, mas o sapato também pode deixar a silhueta longilínea”, diz Mica Rocha, it girl à frente do We Pick.

O modelo invisible usado por Cara Delevingne no baile da amfAR, no Rio de Janeiro, deixa o pé à mostra e alonga a perna. E o melhor: é tendência! As atrizes Kristen Stewart, Emma Stone e Thássia Naves já aderiram à moda. “Quando você mostra um pedaço de pele, a perna fica visualmente mais longa”, Gabí F. Souzä, consultora de imagem da Boucle. O segredo é mostrar o peito do pé, por isso, mesmo os modelos com biqueira colorida, como o Un Bout de Christian Louboutin, cumprem a função.

Uma alternativa aos sapatos transparentes são os modelos nude, que funcionam como uma continuação da pele. “Se você cria a ilusão de não estar usando nada, consegue alongar a silhueta”, afirma Mica.


Fonte: Marketing GrupoM8

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Truques de moda!





















Sabemos que muitas mulheres vão às compras para muito mais que adquirir simples peças de roupa ou acessórios em geral, na verdade elas acabam fazendo da compra uma forma de aumentar emocionalmente sua autoestima, inflando o ego e se sentindo mais bonitas. 

Porém, existem muitas de nós, ou melhor, muitos consumidores em geral que acabam comprando por impulso fazendo a escolha errada, levando para casa uma peça que não agrada e não favorece de jeito algum o corpo. O efeito passa a ser contrário e a compra que deveria deixar a autoestima lá em cima acaba evidenciando partes que não são favoráveis do corpo. Comprar por impulso ou sem conhecimento é o que maioria não quer, certo? 

Para que o efeito da compra seja vantajoso e então proveitoso, é preciso conhecer seu corpo sem qualquer preconceito e saber comprar a peça que vai te valorizar, que vai deixá-la com o astral lá em cima.

Pensando nessas dúvidas, separamos algumas dicas bem bacanas de diversos sites de moda que vão fazer você não perder mais tempo e quando precisar comprar alguma peça, ir direto nas que te valorizam.

Blusas com listras
As listras horizontais do navy estão em alta. Funcionam bem com quem quer aumentar os ombros estreitos.

T-shirt
A camiseta ideal não é larga (mesmo se você for gordinha) nem justa. Repare se a costura do ombro está no lugar e se a barra está sobre os ossinhos dos quadris. E esqueça as baby looks, que deixam qualquer uma barriguda.

Vestidos
Vestido bom é o que respeita a proporção do seu corpo: o comprimento precisa alongar sua silhueta; se a cintura é marcada, os quadris não devem parecer muito largos;  o decote e as alças devem ser capazes de sustentar os seios.

Camisas
As camisas mais soltinhas com mangas fluida são curingas e ficam bem em todo tipo de corpo.

Decote
Os decotes em V (no máximo até a altura do estômago) equilibram o corpo de quem tem quadris largos e pernas grossas.

Calça de cintura alta
O cós sobre o umbigo ajuda a segurar a barriga. E atenção: quanto maior a altura do cavalo e do zíper, menos os pneuzinhos vão aparecer.

Sapatos fechados
Modelos baixos e fechados, como os oxfords, vão bem em looks que evidenciam as pernas: com saias e shorts curtos ou médios e skinnies.

Peplum
O peplum (aquele babadinho na altura dos quadris) funciona bem para criar a ilusão de uma cintura mais fina e quadris mais largos. Se você for baixinha, invista em um salto alto para alongar a silhueta.

Saia em A
Essa saia (curta ou logo acima dos joelhos) é perfeita para todos os tipos de corpo, porque afina a cintura e não marca os quadris. Já as saias retas disfarçam quadris largos e bumbum grande.

Short
Para garantir que vai ficar legal, fique atenta ao comprimento: ele deve ultrapassar a parte mais larga das coxas e a barra não pode ficar justa nem pegar entre as pernas.

Calça flare ou boot cut
Os modelos flare (com abertura suave na barra) ou boot cut, ajudam a alongar a silhueta, especialmente se tiverem o cós baixo ou médio. Use-as com botas ou sapatos, ambos com saltos.

Bota montaria
Ao usar cano longo com saia, lembre-se de deixar muita pele entre as duas peças. Se a bota tiver salto e bico fino, mostre ao menos os joelhos.

Calça legging estampada
É um hit, mas pode dar a impressão de pernas mais grossas. Se quiser driblar o efeito, use com blusas soltinhas.

Calça skinny
Ela ajuda a deixa a sua silhueta mais sequinha. Se você tem coxas grossas e canelas finas, combine com blusas sem sobras. Se é baixinha invista em sapatos de salto, para alongar ainda mais.

Blusa com manga
As mangas (pelo menos 4 dedos a partir dos ombros) podem ajudá-la a afinar os braços, desde que não sejam justinhas.


Fonte: Marketing GrupoM8

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Nova moda, as jeggings devem rechear o guarda-roupa na temporada



















Bem agarrado ao corpo, o jegging, uma mistura de calça jeans com legging, recheia o guarda- roupa na primavera-verão. A peça adorada pelas européias faz uma segunda aparição na moda brasileira. Famosa por aqui no começo dos anos 2000, retorna com mais classe, compondo desde looks casuais até mais sofisticados.

Ainda mais justa do que o jeans skinny, o jegging traz o dobro de elastano, o que torna a calça mais confortável de usar e mais fácil de vestir. O cós imita com perfeição um jeans tradicional, com bolsos na frente e atrás, zíper e botões. 

A calça da moda evoluiu nos últimos anos e chega às prateleiras das lojas mais encorpada, livrando a dona de desagradáveis transparências causadas pelo tecido excessivamente repuxado, e com novas lavagens, passando longe da aparência de uma legging pura e simples.

O jegging perfeito é o mais fiel possível a uma calça jeans normal. Na hora da compra, passe longe dos modelos com desgaste exagerado nas coxas, o que faz com que as pernas pareçam mais roliças. Dê atenção especial à barra, deixando a bainha logo acima do peito do pé, o que vai permitir usar a peça com sapatilha, tênis ou salto alto, sem tecido sobrando e comprometendo a produção.


Saiba como usar

Casual: A calça jegging é democrática e aceita todo tipo de sapato. Para produções casuais, combina com tênis de cano alto e com o modelo baixinho. No verão, cai como uma luva com rasteirinha e sapatilha.

Arrumadinho: Para aumentar o glamour da produção, invista no salto. Os modelos com tons próximos da cor da pele ajudam a alongar a silhueta, independentemente da cor da calça. Fica a dica: quanto mais aberto o sapato, mais leve fica o look.

Truque de estilo: Faça como as parisienses e dobre a barra da calça. O estilo adorado pelas européias deixa o look mais divertido. A barra dobrada cai bem com sapatilha e com modelos de saltinhos mais altos também.

Fonte: Marketing GrupoM8